Eu Sou

A minha foto
Telemóveis - 911 977 487 mariaraqueltavares@gmail.com

Ho'oponopono

Ho’oponopono é um dos métodos de auto-cura mais efectivos que existe, porque se baseia no amor expresso através das palavras para chegar até ao subconsciente, que é onde residem as memórias que obstaculizam os processos vitais.

Ho’oponopono, que significa “tornar correcto”, é uma técnica havaiana que se baseia no perdão.
A identidade própria através deste processo Havaiano de solucionar problemas, liberta as memórias ou programas que temos gravados no nosso subconsciente.
Essas memórias são activadas pelos nossos pensamentos. A mente é uma máquina de pensar.
Pensa milhões de pensamentos por dia, assim como o coração é uma máquina de pulsar.
Só temos consciência de uma minúscula parte destes milhões de pensamentos.
Quando um pensamento vem à mente, mesmo sem nos apercebermos, activa, automaticamente, uma memória guardada no nosso subconsciente, que se manifesta como um problema.
Problemas são memórias que se repetem ao longo de nossas vidas; quando temos consciência que somos 100% responsáveis por tudo o que manifestamos na nossa vida, aceitamos os nossos problemas como sendo uma oportunidade para limpar, ou seja, limpá-los de nossa vida.

"Podemos recorrer à Divindade que conhece o nosso projecto pessoal, para a cura de todos os pensamentos e lembranças, as memórias que estão nos segurando neste momento." (Dr. Stan Hew Len)

Eu não preciso saber o que é, e nem sentir culpa, já que não sei o porquê de activar esta memória, e que se manifestou como um problema na minha vida. Quando tento resolver os meus problemas, posso falhar, porque automaticamente, eu irei activar mais uma memória do meu passado ou de meus antepassados.

Numa altura de grandes mudanças como a que estamos a passar, é-nos pedido que nos remetamos ao nosso centro, ao nosso coração, de forma a podermos edificar as estruturas em que queremos que a vida neste mundo se fundamente.
A técnica do Ho’oponopono é tão simples quanto poderosa, auxiliando-nos imensamente a nos libertarmos do peso das emoções de baixa frequência, permitindo que o espaço deixado pela libertação dessas emoções corrosivas seja preenchido com os atributos associados à oração do Ho’oponopono. 
As frases são dirigidas à Divindade que há em ti, ao Deus/Deusa, que tu és!

Quando deixo a Inteligência Divina resolver este problema, aparece a solução perfeita.
Como eu não sei o que é melhor para mim, deixo a Inteligência Divina dar-me a resposta certa.
Como ?
Admitindo que sou 100% responsável por tudo o que manifesto na minha vida, e perguntando-me:
- o que se está a passar em mim que estou a manifestar este problema?

Dizendo a mim mesma: -  Sinto muito
                                      Perdoa-me
                                      Amo-te
                                      Sou Grata

O meu entendimento da oração consiste na análise sentida de cada afirmação, que se desdobrou no seguinte:
Eu sinto muito – por eu ter manifestado este problema na minha vida, já que sou 100% responsável por ela.
Sinto muito não como forma de culpa, mas sim, como um convite a sentir muito o que faz parte de mim. Da expressão associada ao que normalmente se chama de arrependimento, e ao qual está associado uma conotação de culpa, interpreto como um reconhecer o “erro”, como um estado de atenção que me permite conscientemente conceber uma forma mais positiva de fazer as coisas. Então, não será reconhecer o erro em si, mas a possibilidade de me continuar a dedicar para fazer melhor, trabalhando a vontade de me manter fiel em encontrar as soluções que são melhores para mim, e ao mesmo tempo para os outros, libertando-me do peso do erro, não atribuirei culpa a mim própria, mas abrir-me-ei às possibilidades maiores da minha essência bondosa e infinita. Sinto muito a verdade do coração.

Perdoa-me – peço perdão a mim mesma e assim liberto-me.
O perdão é muitas vezes confundido com “esquecer". Mas se dividirmos a raiz da palavra na sua composição, encontraremos per e donare;
Dado que perdoar é uma acção que não está limitada ao tempo e ao espaço, mas que é suposto libertar de um estado de culpa, que prende a essa redoma de espaço e de tempo em que uma acção qualquer decorreu, Per, pode significar o que envolve, o que atravessa, o que é permeável e, Donare significa dar, doar, entregar. Assim, perdoar, significará – através do que envolve a situação -, que é o foco de atenção consciente, ser permeável e doar.
No fundo, não importa o que envolve toda a situação que nos remete ao perdão; se temos a capacidade de reconhecer que algo nos atravessa, nos envolve, e é permeável para nos deixar manifestarmo-nos através do livre arbítrio a todo o momento, seremos mais capazes de ser nós também mais permeáveis e deixar fluir todos os acontecimentos que se dão na nossa vida, vendo-os como oportunidades para nos devolvermos a esse fluxo que tudo nutre e tudo abarca, que tudo é.

Amo-te – porque sei que sou parte do Divino e assim sendo, perfeita em minha origem.
O amor aqui presente é o amor que tudo abarca, e não apenas o limitado amor romântico que muitas vezes rouba o lugar do amor sem condições na inconsciência de quem assim o limita. Amor é a força que nos permite manifestar conscientemente e de permitirmos à consciência de se reconhecer a si mesma através de nós e das nossas escolhas; através da capacidade que podemos desenvolver, e que a nós é inata, de reconhecer que tudo nos é dado, mas nada é realmente nosso; entenderemos que tudo o que nos é cedido serve o propósito de experienciarmos a vida de forma consciente e plena, para que possamos dar em retorno, fazer o retorno à estrela maior de onde viemos.
Só com Amor é possível perdoar (assim como só com perdão, é possível amar) e se invoco o perdão estou a invocar Amor. Um vive dentro de, e com o outro!

Sou grata – por este problema se ter manifestado na minha vida, assim eu tenho maior oportunidade para limpá-lo.
“Agradeço por este problema ter sido resolvido repetindo estas palavras, que são as palavras-chave para se chegar ao subconsciente. Liberto estas memórias dolorosas que provocaram problemas na minha vida, e nas vidas das pessoas envolvidas com este problema.”

Porque não somos mais gratos?
Será que sabemos que essa inteligência que nos anima, nos faz respirar a cada segundo, faz o nosso coração bater, permite as trocas gasosas, a replicação celular, a geração de energia, a digestão, a produção de hormonas, está sempre connosco?
- Eu, não preciso pensar que quero mexer as pernas para andar, simplesmente ando; de igual forma, não preciso de fazer nada para ver, cheirar, ouvir, sentir…. É só aceder a essas capacidades que me são dadas por natureza.

Somos seres compostos por triliões de células, que por sua vez, são seres individuais e precisam de ser nutridos com esse manancial de vida; 6,5 biliões de seres humanos em desenvolvimento constante, mais os outros animais, vegetais, minerais, tudo dentro de um planeta – Mãe Terra -, que está num sistema solar, numa galáxia composta por cerca de 100 biliões de sistemas solares, num universo composto por cerca de 100 biliões de galáxias, do qual não se sabe nem o principio nem o fim… estimando-se que este universo se criou a partir de apenas 1% da totalidade da existência de onde partiu o chamado “big bang”… e, sabe-se lá quantos universos existem…

Será que posso sentir-me um pouco mais grata pelo tanto que recebo a todo o momento, abrindo-me à possibilidade de dar continuidade a essa doação que acontece desde o inicio da criação e permite que tudo se manifeste hoje, agora?...
Então, se amo, sou consciente do Amor que me nutre a todos os momentos e me permite experienciar esta vida e redescobrir-me no seio de SI MESMO – AMOR!


EU SOU A POSSIBILIDADE DE O DIVINO SE CONTINUAR A MANIFESTAR ATRAVÉS DESSA FORÇA QUE TUDO MANTÉM CONSCIENTE DE SI, COESO, HARMÓNICO, AMENO, EQUILIBRADO, EM ESTADO DE PAZ!

Deixo a sugestão de podermos, no final da oração, afirmar com a consciencialização e vocalização “Assumo a responsabilidade
Ao contrário da forma como antes sentia e via a responsabilidade, e como grande parte das pessoas a sente e vê, como algo duro, severo, que tem de ser cumprido, decidi fazer o mesmo exercício de sentir a expressão e a interpretação a que cheguei…  A palavra responsabilidade divide-se em 2 termos raiz:
Responsa + Habilidade = Capacidade de resposta

Hoje, com a experiência que tenho e que é mais que a de ontem, tenho a responsabilidade de ter uma visão mais alargada, e uma forma de agir mais focalizada, o que me permite ter uma capacidade de resposta diferente da de ontem. Cabe-me a mim escolher – o que quero eu, construir em vida?... Como sinto o Divino dentro de mim?... Que limites estou disposta a assumir que não existem para que Deus se expresse através da minha vontade de Ser una com Ele?

Assim, Ho’ponopono é uma questão de ir além dos meios tradicionais de acesso ao conhecimento sobre nós mesmos. 


(inspirei-me no texto de Joe Vitale e de Aho Metakuye Oyasin, para escrever)

2 comentários:

M Duarte disse...

A vida é uma constante aprendizagem, disso já não tenho qualquer duvida.
Há que saber usar todas as "ferramentes" que nos são colocadas no nosso caminho.
Esta é sem duvida mais uma e muito importante que irei aplicar no meu dia a dia... Chorei, mas agora entendo e me faz sorrir.
Beijos Amiga por toda a partilha que fazes e por tamanha sabedoria.

Maria Raquel Tavares disse...

Grata minha querida pelo teu comentário.
Abro-me a receber o que o Divino, através desta experiência que é a vida, tem para me dar e guardo-a dentro de mim como uma oportunidade de aprendizagem e entrega.
Vivo em estado de gratidão!