Eu Sou

A minha foto
Telemóveis - 911 977 487 mariaraqueltavares@gmail.com

Nova turma para o curso de Astrologia


A abordagem da astrologia, como caminho de auto-conhecimento e da vida, é ensinada neste curso, numa perspectiva terapêutica e prática. 
A dinâmica alquímica dos planetas na nossa vida é explicada e sentida em cada aula, através do desenho do céu de cada um dos participantes e exercicios adequados.
Para além deste trabalho interno, ficam os alunos aptos para interpretar os mapas astrais, e se assim o sentirem, com uma saída profissional.

Mapa Alquimico da Vida


A carta natal já contém em si, uma determinada forma energética em manifestação, no entanto, o acréscimo de consciência alcançado ao longo da vida, possibilita a recriação de novos padrões e de novas formas energéticas. Evoluir do ponto de vista relativo é sentirmo-nos criativos a todo o momento, de forma a que não fiquemos intimidados pelo tempo consumista, pelo tempo repetitivo que corrói e cristaliza. 

O estudo do tema individual ou Mapa Natal, não só descreve o corpo doente, a mente desequilibrada, ou a vida emocional perturbada, como também, mais ainda, pode responder às questões fundamentais que nos colocamos:
Quem sou eu? 
Para que serve a minha existência? 
Onde irei depois de minha morte? 
De onde vim? 
Qual é a minha missão aqui?

Efectivamente, um tema analisado na perspectiva "cármica" explica luminosamente os gostos, o temperamento, os defeitos e as qualidades do nativo. Descemos aí a um nível de investigação muito mais profundo do que a psicanálise, já que essa astrologia espiritual reconhece a marca das experiências anteriores sobre o comportamento actual do sujeito. Os traumatismos das vidas anteriores podem ser lidos num tema natal.

No mapa natal estão contidas informações sobre nosso passado, a bagagem que trazemos, onde ficamos presos, os padrões repetitivos que impedem nosso crescimento. Ao mesmo tempo, o mapa também mostra as qualidades que devemos cultivar, os desafios que precisamos abraçar, o que nossa alma se propôs a trabalhar nesta vida para a cura do carma. São direcções, caminhos, potenciais, que podem ser aproveitados ou não.

É maravilhoso observar que não existem "fios soltos" no mapa. As posições de todas as casas e planetas, todos os pontos marcados, não estão ali por mero acaso. Sabemos que o acaso não existe! 




O Pai Nosso e os Chakras


A oração dominical dada por Jesus, o Cristo ao mundo tem sete petições e cada uma delas procura desenvolver, purificar e despertar um centro energético (chacra) dentro do corpo-templo do EU SOU. Essa oração encerra as mais poderosas palavras sagradas do Verbo. É preciso, no entanto, saber utilizá-las, pensar nelas, meditar sobre elas e vocalizá-las com toda a pureza de aspiração.

A oração dominical é uma ponte entre o homem e o Deus Intimo.
Escutai, o que disse Jesus em relação à oração, invocação e petições ao Deus Intimo. Antes de iniciar as citações, devemos recordar que o Céu está na cabeça do homem e que o Inferno repousa no inferior de seu ventre, aonde pululam os desejos de baixa vibração e aonde mora o Inimigo Secreto.

Após esta pequena advertência já podemos tomar do capítulo sexto do Evangelho de São Mateus e ler a partir do versículo quinto, que diz:

“E quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de orar de pé, nas sinagogas, ou nos cantos das praças públicas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo, que eles já receberam seu galardão. Tu, no entanto, quando orares, entra em teu quarto (em teu mundo interno) e, fechadas as portas (de teus sentidos, para que tua atenção não seja perturbada pelo mundo externo), ora ao Pai (o Intimo) que vê todas as coisas ocultas e te recompensará. E, quando orares, não fales muito, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão melhor ouvidos. Pois não quereis assemelhar-vos a eles, porque vosso Pai sabe daquilo que precisais, antes que Lhe seja pedido. Assim deveis orar:”

Pai Nosso” (todos somos Seus filhos); que estás nos Céus” (no mais alto, puro e divino de nosso corpo, em nosso centro coronário que irradia mil luzes de Tua divindade, luzes de amor, de fé, de esperança, etc);

Santificado seja o Vosso nome” (em nosso centro frontal e, assim, teu selo divino, tua luz inefável, emanará de nossa testa e assim estará o homem revelado pela sua santidade);

Venha a nós o Vosso Reino” (venha a nós o reino do Teu Verbo, a nosso Centro Laríngeo, para que sejamos criadores de todo o sublime e de todo o elevado por meio da palavra);

Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra, como no Céu” (em nosso coração, ou Centro Cardíaco, que une os três centros superiores com os três inferiores. Que a vontade do Intimo guie os pensamentos e os desejos do coração para que eu execute a Tua obra);

O pão nosso de cada dia dá-nos hoje” (o poder energético que alimenta nosso plexo solar, dando-nos a cada momento dele para podermos servir e servir-Te na obra);

Perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido” (porque nosso Plexo Esplênico é o depósito de nossos erros. Desse chacra umbilical fazemos emanar ódio e rancor, cólera e inveja. Perdoamos os erros cometidos por nossos irmãos contra nós e o perdão é como a água que limpa toda sujeira e impureza);

“Ilumina-nos no Caminho do Bem e ajuda-nos a triunfar sobre a tentação, para livrar-nos de todo Mal” (e não, como erroneamente se reza, “e não nos deixeis cair em tentação”, porque o Deus Íntimo jamais nos deixa cair em tentação se não o quisermos, se não a buscarmos. Foi-nos revelado que, numa luta que era travada no mundo interno, enquanto o Iniciado rezava o Pai-Nosso, ele prosseguiu triunfante até chegar a essa frase: Não nos deixeis cair em tentação. Sentiu, então, que um precipício abria-se embaixo de seus pés, aonde precipitou-se junto com seu corpo físico, acordando muito agitado.” O Mestre recomendou que ele modificasse a frase. As tentações chegam a nós a partir do Plexo Fundamental – chacra raiz ou de base, aonde mora o Inimigo Secreto, autor e inspirador de todo Mal); e livrai-nos do mal.

 “Porque Teu é o Reino, o Poder e a Glória, AMEN “.
(Esta última frase, selada pelo mantra AMEN, é uma invocação à Trindade Íntima que está representada por três átomos na cabeça: Pai-Mãe e Filho ou Pai, Filho e Espírito Santo)."



Trecho extraído do livro “A Magia do Verbo ou O Poder das Letras”, de Jorge Adoum.

Inicio de um novo ciclo



Este mês trouxe muita energia do passado para interagirmos e decidirmos sobre o que queríamos, para libertarmos ou repetirmos, para avançarmos para um novo futuro ou recuarmos no passado. E o forte foco espiritual agora torna isto tudo mais potente, poderoso e importante. Este eclipse leva-nos de volta a 26 de Fevereiro de 1998 e Setembro de 2016, onde tivemos um eclipse oposto ao grau do eclipse de 26 de Fevereiro de 2017.
O que fazemos, o que escolhemos, quais são os próximos passos? 
E há outro eclipse começando em Agosto de 2017, que afecta Plutão no fim da geração de Leão (1955 a 1961), e o que fizermos agora afectará como experienciaremos o próximo eclipse de Agosto. 
Eclipses são portais para um novo potencial que nos forçam a olhar com lupa e vermos o que estamos a fazer, reconhecermos o que estamos a ser e dão-nos o potencial para fazermos novas escolhas. Como lidar melhor com os eclipses? 
Eclipses são portais entre o passado e o futuro que nos mostram simultaneamente onde estivemos e a possibilidade de um novo potencial. Este portal para o futuro é breve, mas atraente, e quando o eclipse passar, teremos de decidir se iremos repetir o passado e o que sabemos, ou libertá-lo para o novo e desconhecido.

É precisamente aqui que renasço.
Sendo o Sol, a Lua, o Ascendente e o Meio do Céu os mais importantes da revolução solar, eles podem delinear acontecimentos diários à medida que progridem no mapa e entram em contacto com os planetas. 

A partir do aniversário o ascendente progride no mapa.

Este ano a proposta do Universo para mim, com o Sol e a Lua na Casa 3, o Ascendente em Sagitário e o MC em Balança é muito clara -  É um momento para tentar realizar as potencialidades que já conhecia, mas que nunca tinha desenvolvido. Reafirmar a minha personalidade.


Embora chamado Inferno Astral, Fevereiro é tempo de me doar. Pode ser uma fase de incertezas e dúvidas, libertar-me de apegos e preparar-me para renascer




Quinta da Eira

Silves


 Foi com esta magnifica paisagem que a Turma 1 do Curso de Astrologia Alquimica teve a aula de Capricórnio / Saturno. 

A partilha, disponibilidade e dedicação de todos os alunos que ao longo de um ano têm desenvolvido este estudo, com a minha orientação, é deveras compensador.

Foi um aula muito especial com um trabalho profundo de libertação, onde todos os participantes se entregaram à proposta de trabalho, deste dia.



Manifesto a minha alegria e amor, por todos e por cada um, pelo entusiasmo que até aqui têm demonstrado às propostas que tenho feito, de modo a que se conheçam melhor e desenvolvam a vossa consciência espiritual.

Estou imensamente grata, por viver todos os momentos, com a vossa companhia.

Bem hajam!

Atitude !


Ontem uma amiga, telefonou-me, confusa e desconfortável com a relação que vive e disse-me: ".... é verdade que iniciei esta relação sem estar apaixonada, apenas porque ele tem qualidades que são muito importantes, para mim num homem. É carinhoso, atento, presente ......" e continuou a enumerar umas quantas coisas.


A determinada altura perguntei: "Onde está o Amor?... Base e essência numa relação a dois?"

Ao qual ela respondeu: "O Amor, bem o amor constroi-se."

NÃO!
O Amor É. 
O Amor É tudo o que existe e nos rodeia e está em nós é a nossa essência. Todos estamos aqui, neste Planeta, pelo Infinito Amor de Deus pela Humanidade.

As relações constroiem-se, vivem-se. 

O Amor sente-se, doa-se. É uma partilha incondicional.

Nem sempre pensei desta forma, no entanto, na minha caminhada pela vida, aprendi que Tudo o que me rodeia é Amor Puro. Não consigo ver ou falar do Amor de outra forma.

Algumas pessoas, ainda não conseguem perceber e viver este Amor, mas acredito que caminhamos para uma NOVA TERRA, onde não precisamos (dependência) de dar e receber Amor, uma vez que Nós, simplesmente somos Amor
Amor, é o nosso estado natural de Ser.

Nesta nova consciência, levamos Amor a tudo o que fazemos. Onde quer que estejamos, emanamos Amor do nosso coração.

Também sinto que não gostaremos de todos, nem de tudo, e que não precisamos de tolerar aquilo de que não gostamos. Isso não diminui o nosso amor. A atitude é que passa a ser outra, assumindo que não queremos estar ali ou ficar com uma pessoa, exactamente porque em Amor e por Amor isso não é o melhor.

No caminho do Amor comunicamos com humildade, verdade, honestidade e alegria.

Podemos concordar ou não, aceitar ou não, apoiar ou não, uma vez que qualquer acção e consequente reacção é a adequada. Mesmo que no momento não nos compreendam, acredito que mais tarde irão finalmente, entender a nossa atitude.

O caminho do amor é Alegria. Mesmo que por momentos nos seja dificil mantermo-nos no caminho do Amor, porque alguém ou algo nos dificulta, esse estado. 

Parem. Sintam. Sorriam. Preencham o sorriso com amor, sintam-no no coração e fiquem, até conseguirem novamente continuar no Caminho.

É errado pensar que tudo à nossa volta é harmonia, porque escolhemos trilhar o caminho do amor. Há maldade e mentira, por enquanto, a habitar ao nosso lado. Encontramos obstáculos e temos preocupações.


Mas, quando escolho o Amor como modo de vida, simplesmente porque é o único caminho onde me sinto feliz, confortável e alegre, a ressonância desse Amor Puro e Verdadeiro do Coração, vem até mim e torna-se cada vez mais forte.

Acredito que é este Amor que vai ligar as pessoas, na Unidade e na Verdade. 

Amo-vos a todos, na Luz e no Amor da Fonte Criadora -Pai/Mãe - Deus/Deusa

Eu Sou Maria Raquel

Filosofia de vida

Sou uma estudiosa de Kabbalah, se bem que o faço sozinha, adquirindo livros, pesquisando na net, enfim, tudo o que posso para saber cada vez mais. Acredito e pratico os ensinamentos da Kabbalah na minha vida.

Os Grandes Mestres da Kabbalah dizem que, graças a ela, o homem pode colaborar com a Divindade na (permanente) criação do mundo.
Definir Kabbalah não é fácil. Kabbalah é um sistema filosófico que reinvindica o discernimento da natureza divina.
Kabbalah é uma palavra hebraica que significa receber. Esta sabedoria tem sido transmitida ao longo dos anos. Segundo os kabbalistas, Jesus era o Messias da sua geração, conhecido como o Meshiah, filho de José. Há ensinamentos secretos de Jesus dados somente aos seus discipulos mais próximos (Envangelho de S. Tomás) onde Ele ensina que a Luz é a origem de toda a Humanidade e que cada pessoa é um "filho da Luz", uma centelha do Divino.
Durante séculos a Kabbalah foi abolida por aqueles que não a compreendiam.

A Árvore da Vida, está dividida em três níveis básicos da alma, ou melhor dizendo três níveis de funcionamento psíquico. Sendo a tríade superior associada às faculdades mentais; a tríade do meio, às faculdades emocionais; e a tríade mais baixa às faculdades sensuais.

Cada tríade também apresenta uma oposição de qualidades que surgem harmoniosamente equilibradas pelos componentes do meio, de cada uma delas. A coluna da direita representa a tolerância, a bondade, a graça ou seja a mais expansiva espiritualmente, um pólo mais misericordioso. A coluna da esquerda representa o rigor da lei, do sacrificio, ou seja a mais egóica, um pólo de julgamento.

À luz destes ensinamentos criei uma forma de abrir o tarot, que me orienta e ajuda a identificar, quais as situações, cármicas e actuais, que devem ser analisadas e trabalhadas em cada pessoa que me procura.

Estou grata à minha Alma, por me mostrar esta sabedoria.

Reflexão

“… Um homem aproxima-se de um mestre e pergunta-lhe:
- Há realmente um inferno e um paraíso ?
- Quem é você ? –indaga o mestre.
- Um Samurai!
- … um soldado ?! Quem poderia quere-lo ?... mais parece um copeiro!
Fora de si, o Samurai retira o sabre da cintura.
- Ah, você tem um sabre ?! – escarnece o mestre – De que lhe adianta?... O seu braço é muito fraco.

O guerreiro, irado, ergue o sabre na direcção do sábio, que lhe diz:
- Aqui abrem-se as portas do inferno.

O Samurai coloca novamente o sabre na cintura e curva-se perante o mestre, que lhe diz:
- Aqui abrem-se as portas do paraíso.”

Recebi esta história por e-mail e resolvi transcrevê-la, uma vez que é muito simbólica e ajuda-nos a compreender melhor o que é o carma.

Ele é visto através dos eixos de dois signos opostos, mostrando assim a lei da causa e efeito.
É nitidamente de onde vimos, a forma como nos comportamos, o passado versus para onde vamos, o que fazemos, o presente.

É aqui e agora, neste presente, que construímos a nossa vida real e que podemos realizar tudo, porque SOMOS.
Do passado só ficaram as experiências vividas que nos ajudam e não são mais do que oportunidades para a nossa evolução e consequente fusão com a nossa Essência Original – Deus.

Como é do conhecimento geral os signos são constelações de estrelas de luz, de brilho - o 1º portal de entrada na terra. A energia impulsionadora.
Tudo nos conduz porque tudo é simultâneo. O Universo é matematicamente perfeito.


Os Portais Estelares, ao qual damos o nome de signos são 12, baseados em quatro elementos fundamentais, que orientam a nossa personalidade e temperamento:

Energia de combustão – de impulso, acção, transmutação - Fogo
Energia sólida - de construção, fecundação, estabilidade - Terra
Energia gasosa – de pensamento, comunicação, inteligência - Ar
Energia liquida – de sentimento, emoção, nutrição - Água



Enquanto que a energia dos signos mostram as características da nossa personalidade, as energias planetárias indicam o nosso comportamento, e, assim analiso cada um deles no sentido de oportunidade.

Então ao estudar um mapa natal olho atentamente para esta dança rítmica que todos fazem entre si e….
direcciono a consulta para uma ajuda dinâmica, mostrando a cada um as ferramentas poderosas que possuímos para a nossa evolução.

Não vou hoje falar de nenhum em particular, mas abro uma ponta da cortina… eheh
em Júpiter procuro o meio através do qual as pessoas podem crescer, ampliar e multiplicar os seus dons;
já Saturno mostra-me a enorme oportunidade que a vida nos dá para evoluir.
Disse-me um dia um mestre que: “Saturno é o planeta que nos ensina (tal como a parábola) a pescar…”
Então meus amigos, de que estão à espera?!.

Quando falo de carma, vejo-o através da polaridade dos signos, uma vez que “os nós” na nossa vida são-nos mostrados pelo eixo do signo e o seu oposto. É aqui que me deparo com as intercepções e também com os Nódulos lunares.
Mas não vejo, nem sinto o carma como culpa, cruz, peso, pena ou medo, essa é por vezes a desculpa que usamos. É a conclusão do passado, vivido no presente, para proteger o futuro. Carma é o princípio da responsabilidade, da aprendizagem, da sabedoria. É o compromisso, a doação, a compaixão.
Carma não é matéria – é a pura energia ao serviço da Luz.

31 de Outubro

... é uma data importante. 
Ela já era celebrada antes mesmo da era cristã, especialmente na Europa, pelas tribos celtas. A festa teria sua origem num ritual às forças da natureza, chamado Samhain (samh: verão, fuin: fim), a comemoração do ano novo celta, o começo do inverno no hemisfério norte. Essa data gelada era representada pela volta dos mortos as suas casas em busca de conforto, proteção, das guloseimas difíceis de desapegar desde o desencarne e o calorzinho da fogueira familiar. 
As partes matavam as saudades e trocavam as últimas notícias do além e da Terra. Uma noite em que a fronteira entre o mundo dos mortos e dos vivos se dissolvida em meio a uma noite escura, muito longa e de nevoeiros intermináveis.
Para os sacerdotes druidas, da religião celta, o céu em que moravam os mortos era um lugar de paz e felicidade, sem fome ou miséria. 

Uma ideia que pode ter inspirado os cristãos muitos séculos depois na construção do seu mundo celestial. Por volta do ano 600 a.c. os escoceses teriam se apropriado da mesma data para celebrar o Halloween

A palavra originalmente viria da expressão Hallow Evening ou Hello Evening (olá, bem vinda noite) uma referência à noite dos mortos, dos sacerdotes e portanto das bruxas, as sacerdotisas. Os romanos por sua vez, que se apropriaram do conhecimento e dos rituais gregos antigos, também celebravam seus deuses perto desta data. 

 Panteão romano


Panteão, edifício que pode ser visitado até os dias de hoje, que abrigava e saudava a todos os deuses foi transformado pelos católicos no século IV no templo de "Todos os Santos", uma outra apropriação da mitologia antiga. 
Assim, as datas de hoje, o  Halloweenque antecede o Dia de Todos os Santos, dia 1° de Novembro, e em seguida o Dia de Finados ou o Dia de los Muertos conhecido no México, dia 2 de Novembro, são variações da mesma festividade de origem pagã. 
Com as ondas migratórias para o novo mundo, nos Estados Unidos muitas culturas se mesclaram e reinventaram a festividade que até hoje é comemorada por lá, actualmente celebrada de forma desapegada de seu significado original. 

Os disfarces de monstros, fantasmas e abóboras provavelmente tem sua origem entre os séculos XIV e XV, durante a Peste Negra que dizimou um terço da Europa, criando nos católicos um pavor pela morte. 
Como as missas se proliferaram por todo o continente nasceram muitas representações que pudessem exorcizar "o mal". 

Na astrologia os meses de Outubro e Novembro são "abençoados" por Plutão, Deus da morte e dos submundos, regente do signo de Escorpião.
Todo o nativo de Escorpião que se preze sabe bem do poder e da responsabilidade de nascer nesta data.
Muitos tem um forte chamado para os assuntos de morte, são variadas as experiências de fim de ciclo e reinvenções de si mesmos. 
Muitos se quiserem podem se tornar sacerdotes, astrólogos, terapeutas ou psicólogos, os xamãs da pós modernidade. 

Eu tenho Plutão no meio do céu. Na minha profissão sou um canal entre os mundos, celebrando a astrologia como ferramenta de transformação. 
Com o ascendente Escorpião sinto que por vezes sou uma pessoa misteriosa, que os outros têm dificuldade em compreender. Vivo a vida de forma intensa. O amor pelo meu filho é uma das coisas mais importantes, embora possa não o demonstrar. Gosto de analisar exaustivamente as coisas e mostrar as minhas capacidades intuitivas. 
A minha Lua em Escorpião, oferece-me a capacidade de descobrir as fraquezas e fortalezas dos outros mesmo antes de soltarem a primeira palavra no consultório. 

No dia de Halloween festejo quem foi e quem fica, porque assim são os ciclos da vida.

Memória de um passado longíquo

Acabou!
... e então tudo acaba um dia.

Mesmo assim é melhor ter vivido, mesmo sofrendo, do que não ter sentido a paixão avassaladora que este amor me proporcionou. Nunca podia ter passado em branco um amor assim.
Mas só quando parei de te procurar em cada olhar, noutros sorrisos, que consegui reencontrar-me.
Passou. Tudo passa. 
O amor não morre, apenas se esgota de sofrer. Deixei-o esvair-se o quanto eu podia e foi assim, num belo dia, quando finalmente tinha parado de lutar comigo mesma, quando parei de me lembrar a todo momento que eu precisava te esquecer de qualquer jeito, que eu te esqueci. 
Eu vivia para ti, respirava por ti, repetia o teu nome, e foi só então, que eu te invoquei, que percebi que se não me amasse a mim, nunca te iria amar. Era doentio, dependente, este amor e por fim consegui exorcizar-te.
E um belo dia eu acordei e já não foste mais o meu primeiro pensamento.

Mensagem


No próximo domingo, dia 16 de Outubro a Lua está na sua fase Cheia no signo de Carneiro.
O que pode isto querer dizer na vida de todos nós?
Carneiro é o signo dos inicios e está neste momento a sofrer o trânsito de Urano que neste mesmo dia faz conjunção à Lua, o que indica que é um excelente período de oportunidades para limpar tudo o que não faz sentido estar à nossa volta.
Este é o fim de um ciclo em que nos é pedido para reflectir sobre o impacto que as nossas decisões e motivações pessoais têm sobre nós próprios, sobre tudo e todos com os quais  nos relacionamos.
É assim uma tomada de Consciência, que nos pede uma análise profunda sobre os nossos apegos, para que nos possamos libertar dos padrões inconscientes que condicionam a nossa vida. É preciso activar o eixo Carneiro/Balança e criar um estado de harmonia interna.
Como Plutão em oposição estaciona entre estes dois planetas a mensagem é muito clara “ou mudas ou mudas”, por outras palavras “ou vai ou racha”.
Aceitar, literalmente, o Desafio. Em vez de querer ter, devemos usufruir do que temos. Tudo que vem à nossa vida, somos nós que atraimos, por isso há que romper com tudo aquilo que ainda projectamos em todas as nossas relações.

Esta Lua Cheia em Carneiro oferece-nos a oportunidade de definir metas e libertar tudo e todos que já não fazem sentido na nossa vida.  É preciso alinhar a nossa Alma a uma intenção elevada, e continuemos nessa direcção redifinindo os objectivos para que consigamos atingir a paz interior.

“Amar sem apego, porque apenas o desapego, aquele que é verdadeiramente sentido e não somente pensado, nos permite ser gratos pelo que da vida recebemos, em “espelho”, por correspondência, e nos faz querer partilhar os frutos das nossas conquistas com os outros sem nunca nos sentirmos “divididos” mas antes “multiplicados”. Não nos esqueçamos de que todas as balanças precisam de ser calibradas de tempos-a-tempos porque o nosso ponto de equilíbrio entre a dualidade da vida e das circunstâncias, entre o que gosto e não gosto, dá prazer e não dá prazer, varia e está directamente associado ao nosso nível de consciência.” - APP

Gratidão!


Ao olhar para um mapa astral, viajo pelo tempo e pelo espaço - levito.
A interacção com as energia planetárias, que transformam e alquimizam, como que por magia, cada Ser, fascina-me.
Em consciência deixo-me transportar para dentro do mapa, envolta em paz, luz e amor.
Coloco-me em contacto com a essência e brindo a arte de viver, enquanto procuro que o Ser ali presente, à minha frente se abra e tome consciência da beleza que tem em si.
.....

Sabe qual é o seu ascendente?...

Imagine um bébé a nascer...

ao sair do útero materno sente o impacto de um mundo estranho, algo que ele desconhece, mas onde sabe quer tem de viver daquela hora em diante.

Então, para sobreviver, ele procura adaptar-se a este mundo, comportando-se da maneira que imagina ser a melhor para estar bem com os outros.

É por conseguinte a auto-imagem, isto é, a imagem que construimos de nós mesmos, aquela que pensamos ser a que melhor nos convém para enfrentar o mundo.

O Ascendente rege o aspecto pessoal e, em considerável medida a saúde, a mente e a disposição. Os cinco sentidos encontram a sua porta de saída através do Ascendente.
Representa impulso inicial para a vida, o momento do primeiro choro do bebé. Mostra a qualidade do nosso primeiro contacto com o Mundo.
O signo que se encontra no Ascendente (dado pela hora exacta de nascimento), indica a primeira impressão que causamos e a forma como iniciamos as coisas.
Define as características da personalidade, o temperamento e a forma de expressão.

No entanto, a expressão da verdadeira pesonalidade não está no signo Solar ou no Ascendente ou numa casa mais povoada de planetas e sim, na totalidade do mapa. Privilegiar o Ascendente como expressão de totalidade da personalidade é querer um ser adaptado ao mundo, sem que possa expressar nele a sua singularidade.

O Ascendente comporta-se como uma placa de aviso que acena para a meta da vida interior, mostrando a qualidade que deve ser desenvolvida para que a meta seja atinginda num futuro distante.
Ao longo da vida existe em nós a tendência para desenvolver, até mesmo inconscientemente, as qualidades do signo do nosso Ascendente.

O que devemos desenvolver é a nossa verdadeira meta, a tarefa espiritual de cada signo, visando a totalidade. Só conseguiremos isto, quando nos permitirmos crescer, e tivermos um conhecimento mais profundo de nós mesmos.

Evolução

No trabalho da criação, Deus começou por utilizar a vontade, as forças provenientes dos dignos de Fogo, as quais alimentaram o seu desígnio, o seu propósito, isto é forneceram a semente do seu futuro universo.


Utilizou em seguida as forças provenientes dos signos de Água, que puseram à sua disposição essa essência chamada Amor, depois, misturou desígnio e amor e construiu as duas colunas da sua obra. 


Os signos de Ar ofereceram, em seguida, as suas forças, e com elas, Deus criou as Leis que regem o Universo e foi destas leis que nasceram a lógica e a razão, que nos permitem descobrir a Lei e o funcionamento da Máquina Cósmica.


Com os signos de Terra, que fornecem a capacidade de cristalização, de coagulação, para dar uma pele às energias dos outros signos, de modo que eles dispusessem de um corpo material para se manifestarem.


Com estas últimas forças, Deus cobriu a sua obra, vestiu-a, deu-lhe uma aparência.
Assim fez Deus e nós agimos do mesmo modo.


O zodíaco constitui um caminho de formação humana, no qual somos obrigatoriamente de um signo ou de outro.
Nascemos sob um signo e com determinados planetas e determinados aspectos, consoante as necessidades precisas de experiências indispensáveis para o nosso processo evolutivo, enquanto alma.

Tempo de reflexão

O momento é de intenso  trabalho interno, com a influência de Marte, Júpiter e Saturno em movimento retrógrado no Céu.

É uma oportunidade de "arregaçar as mangas", vencer as inquietações e aceitar os desafios, usando estas forças de forma consciente e não deixar a negatividade entrar. 
Esta é a hora para manter pensamentos positivos, atitudes confiantes e emoções saudáveis.
Devemos manter o foco e não nos deixar arrastar por discussões. Ponderar bem as decisões, uma vez que o momento não é propicio para isso, uma vez que a ilusão e consequente desilusão imperam, agora.

Antes de qualquer reacção, respirar é a sugestão que vos deixo aqui.

Analisem onde está Marte em trânsito pelo vosso mapa, e é aí que têm o palco, ou seja o material e a oportunidade para trabalhar.
Por estes dias a frustração não é uma inconveniência no caminho, ela é o caminho para te tornares Amor. 


Parece que tudo está à "flor da pele", e ainda irá ficar mais forte a partir de amanhã (18/04), porque Plutão também se vai juntar à festa da retrogradação.
Pede-nos, colectivamente, que façamos uma revisão. A aprendizagem, transformação, e sacrifício do inferior em nome de uma Vida Interior maior e melhor.
Podemos escolher fazê-lo, ou simplesmente ficar no impasse - frustrados e explosivos.

Meu colega e amigo Uno Michaels escreve assim:  "... isto pode dar origem a terramotos, explosões, guerra, destruição, e condutas suicidas.
Por quê? 
Porque a Humanidade actual tem uma péssima relação com Marte, com a transcendência, com a frustração do próprio desejo, com a admissão do próprio desejo, com a ilusão da separação, com o acolhimento do que é estranho, estrangeiro, com a abertura das próprias fronteiras, com o fim dos privilégios de uns poucos e que nascem do abuso dos muitos, e com a natureza da própria Vida. Por isso é natural que observemos o estertor da natureza inferior do Homem, quando convidados a confrontarmo-nos com ela.
Esta é a altura em que planos precisam ser revistos. Prioridades clarificadas. Batalhas correctas travadas. Sacrifícios feitos. Grandes transformações vividas, e enfrentadas. E, a meio de tudo isso, alguma verdadeira paz, alguma verdadeira coragem, alguma da nossa essencial dignidade reencontradas.
Esta é a altura em que os deuses riem de nossos planos, projectos, ideias e pretensões.
Este é o momento de reconhecer o Plano que nascemos para cumprir, cumprindo-nos, e colaborar com ele: mesmo que seja 'contra' a imediatez ou cegueira egoísta do que 'nós' próprios tínhamos idealizado, projectado, imaginado.
............
Ao fim da meta, e ao longo de todo o processo, o propósito de Tudo: o Amor. Onde há medo, onde há desejo, onde há esforço, onde há controlo, onde há separação, onde há domínio, onde há submissão, onde há cegueira, onde há o reflexo inferior da natureza do Homem: há Amor por fazer.
Há muito Amor por fazer no mundo. E uma nova Identidade por reclamar, descobrir, actualizar, honrar, defender. Uma identidade eterna, e no entanto nova. Uma identidade cósmica."

...


Eu sou mais que um simples conjunto de hábitos ou crenças. Potencializo o amor por mim mesma, sendo leal ao meu Ser mais puro.
Não me prendo a dramas emocionais criados por sentimentos negativos - desapego-me emocionalmente.
Estabilizo-me para conhecer a cura, equilibrar a ilusão e produzir uma visão mais ampla.
Eu Sou Amor e Cura.
Eu Sou a Luz Divina.
Eu Sou o que Eu Sou!